Convivência em Dias de Quarentena 437

Teresa Gavinho
Psicóloga organizacional

A psicóloga Teresa Gavinho, que está estudando terapia holística atualmente, conversou com a Revista X e trouxe dicas muito importantes para melhorar a convivência das famílias nesses dias difíceis que estamos atravessando com o advento do Corona vírus- (covide 19).

 

Revista X – Como melhorar a convivência em dias de quarentena?

Teresa Gavinho – Para melhorar a convivência em qualquer área ou momento da vida, existem dois pontos preponderantes, o primeiro é o respeito e o segundo a empatia. É se colocar no lugar do outro e tentar avaliar como o outro se sente, assim se consegue ter um entendimento de como se harmonizar. Quando estamos restritos em um mesmo espaço, a melhor maneira para se alcançar uma convivência equilibrada, é através do diálogo, é preciso conversar e expor o que está indo bem e o que precisa ser ajustado. Quando não conversamos para resolver os problemas, algo que começa pequeno pode se transformar em uma coisa maior, que vai gerar mágoa, rancor, raiva e outros sentimentos que tornarão o ambiente tóxico e a convivência insuportável. Então, crie regras de convivência e vá ajustando no dia a dia, assim será melhor pra todos.

Revista X – Como gerenciar o tempo entre tarefas e lazer?

Teresa Gavinho – O cérebro humano é um órgão afeito à rotinas, então, para adaptar o trabalho, o estudo e até mesmo os exercícios, quando tudo tem que ser realizado no mesmo espaço e por várias pessoas, é necessário manter os hábitos mais próximos da rotina que se tinha antes de toda essa situação.

Exemplos: *Se você vai precisar trabalhar em sistema de home office, é importante que você procure acordar no mesmo horário, se preparar como se fosse sair para trabalhar, encontrar um local confortável, preparar o ambiente com água, os materiais e equipamentos necessários para desenvolver as tarefas, fazer intervalos, respeitar o tempo de almoço e procurar encerrar as atividades no horário de costume. Jamais inicie o trabalho de pijamas, pois assim, seu cérebro vai se confundir e seu trabalho não irá render;

*Para quem vai precisar estudar em casa, é mais ou menos a mesma coisa, organize o espaço, e vista-se como geralmente se veste quando vai para o curso ou escola, e procure respeitar os horários para manter uma rotina.

Depois que foram organizados os tempos de trabalho e de estudo, é importante separar também horários para o lazer e se possível para se fazer exercícios. A internet pode ser uma grande aliada nesse momento, com ela é possível acessar filmes, séries, fazer visitas virtuais a museus, etc. Várias empresas liberaram conteúdos que antes eram pagos e agora estão disponíveis. Procure fazer boas escolhas, assim você irá se divertir e absorver conteúdo.  Aproveito para lembrar que a utilização de fone de ouvido pode ajudar a manter o ambiente mais silencioso para não atrapalhar quem estiver estudando ou trabalhando.

Revista X – Como podem ser organizadas as atividades em família?

Teresa Gavinho – É necessário envolver todas as pessoas da casa na nova rotina da família, afinal de contas, todos estarão dividindo o mesmo ambiente. É muito importante que as regras sejam criadas desde o início, dividindo tarefas e procurando fazer com que isso ajude a melhorar a convivência e o respeito entre todos. Tarefas como, colocar a mesa, tirar a mesa, organizar as louças, limpar a casa e etc, deverão ser divididas de acordo com as possibilidades de cada família. Se você tem uma criança de dois anos em casa e você vai fazer um bolo, a criança não poderá fazer muita coisa, mas, se você fizer com que ela lhe acompanhe e apenas ajude quebrando um ovo que seja, ela vai se sentir útil, e com toda certeza o bolo irá ganhar um sabor especial. Os adolescentes podem contribuir de várias formas, assim como os companheiros, todos devem se unir para não sobrecarregar demais apenas uma pessoa. Tudo tem que ser negociado e conversado.

Antigamente as pessoas não tinham televisão, sentavam-se à mesa para comer, conversavam umas com as outras, as pessoas na verdade conviviam, e hoje, muitas famílias apenas dividem o mesmo espaço. Tem muita mãe que não sabe que o filho gosta de quiabo por exemplo, porque ele aprendeu a comer quiabo no restaurante a quilo da faculdade em que estuda.

Quem sabe essa situação toda que estamos vivendo, não seja uma grande oportunidade das pessoas se reconectarem, se conhecerem melhor e depois que tudo isso passar, os laços afetivos e o conceito de família não seja outro para todos. Precisamos entender que o momento que estamos vivendo é algo, que não podemos mudar com reclamações que não trarão soluções. Precisamos procurar entender e agradecer por tudo que vivemos. Agradecer por ter esse momento para harmonizar a família, conhecer melhor o companheiro, os filhos, o pai, a mãe e todos que convivem conosco. O mundo é feito de energia, e a energia que você colocar para administrar toda essa situação deverá ser a mais positiva possível, pois assim todo o resto será positivo também.

 

Curta e compartilhe a Revista X!
0
Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se.
Acessar Revista

Revista X
4ª edição 2019

Matérias e fotos Exclusivas da Atriz e Modelo Anajú, Acesse agora!
close-link