A Gigante de Itaboraí acorda novamente. 33

Por: Thiago Dal Bello

Depois de três anos adormecida por  decisão da Justiça Federal , as obras do Complexo Petroquímico do Rio deRevista X - Petróleo e Gás Janeiro (Comperj), poderão  ser reiniciadas a partir de julho. A construção de uma unidade de processamento de gás natural (UPGN) vai representar grandes investimentos e a promessa é a de geração de cerca de 5 mil empregos.

A unidade é o principal projeto de gás no país para os próximos três anos, uma vez que o Brasil tem gás, mas é caro devido a importação do produto. Como o que o país tem de sobra é óleo, a ideia é fazer a troca da matéria-prima e isso demandará mão de obra qualificada e demanda em cadeia.

Revista X - Petróleo e GásEssa movimentação gera empregos em diversas áreas com contratações diretas e indiretas, é preciso estar preparado para não perder oportunidades.

Nesse contexto, o curso de Petróleo e Gás volta ao cenário com força total. Criado  a partir de 2005, como uma opção de graduação tecnológica, o curso forma tecnólogos que  trabalham na exploração, produção, transporte, comercialização, refino, distribuição e logística do petróleo e gás natural. Ele atua em refinarias de petróleo, plataformas e setor de serviços, podendo realizar pesquisas de preço e matéria-prima, consultoria jurídica e ambiental, além de aplicar a legislação do setor visando o controle de acidentes ambientais e de trabalho.

É  o momento  perfeito para quem procura uma oportunidade de  ingresso nesse mercado de trabalho, já que o 

Revista X - Petróleo e Gás

Brasil pretende tornar-se autossuficiente em petróleo descartando a importação desse produto. Vale ressaltar também que a palavra de ordem no segmento é competitividade, não apenas entre a empresas do mercado, mas também do Brasil enquanto país para atração de investimentos.

E nada de pensar em crise!  Segundo Anderson Dutra, sócio e líder do setor de óleo e gás para o Brasil da KPMG, mostrou que o momento de otimismo da indústria é compartilhado por diferentes países. Pesquisa da consultoria norueguesa DNV GL ouviu 723 profissionais, sendo 50 brasileiros, e indica que a confiança nas perspectivas aumentou de 16% para 50%, ou seja, metade dos entrevistados acredita em um setor positivamente diferente para o futuro.

O Brasil está acordado e  se preparando para o futuro, e você?

Curta e compartilhe a Revista X!
0
Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *