Assistência à saúde no aconchego do lar 113

“Home Care” proporciona  cuidado mais próximo da família e reduz os riscos de contaminação e infecção

Revista X - Home Care
Por: Débora Souza

O aumento da expectativa de vida da população e a carência de leitos hospitalares são fatores que explicam o crescimento do serviço de Atenção Domiciliar – ou Home Care. No Brasil, é uma modalidade assistencial de caráter substitutivo, Internação Domiciliar em que o paciente recebe cuidados semelhantes ao que receberia em uma internação hospitalar, ou complementar, Assistência Domiciliar em que o paciente recebe cuidados semelhantes ao que receberia em um ambulatório.

Some a esses fatores a necessidade de alta para pacientes de longa permanência hospitalar (crônicos) com o objetivo de redução dos episódios de infecção e o desejo desses pacientes e de seus familiares de permanecerem por mais tempo integrados na convivência familiar e ficará fácil entender porque o setor fatura atualmente cerca de R$ 3 bilhões ao ano e gera mais de 200 mil postos de trabalho.

De acordo com o último censo realizado pelo Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar (NEAD), em 2014, mais de um milhão de pessoas já recebiam assistência de saúde em casa. A  aposta na Atenção Domiciliar ganha cada vez mais força, na medida em que os estudos apontam que o bem-estar, carinho e atenção familiar, aliados à adequada assistência de saúde, são elementos importantes para a recuperação de doenças.

Revista X - Home Care

Confira a entrevista da Revista X com a enfermeira e empresária Débora Souza, que há vinte anos trabalha no ramo do Home Care e há dez oferece o serviço de Atenção Domiciliar à população de Niterói-RJ, com o apoio de uma equipe multidisciplinar.

  • Para quem é recomendado o serviço de Atenção Domiciliar?

Débora: O Home Care é recomendado para pacientes que já não precisam da atenção crítica do leito hospitalar, e sim, de uma rotina de cuidados e monitoramento para recuperação de seu quadro estável.

  • Quais os benefícios para o paciente que se recupera em casa?

Débora: O cuidado em casa, próximo à família e a elementos que constituem a identidade do paciente, faz com que o mesmo se restabeleça mais rapidamente. Além disso, quando atendidos em casa,os pacientes apresentam menos riscos de contaminação e infecção. É um atendimento mais humanizado, no qual se resgata aoportunidade de o paciente ser tratado de maneira holística e não apenas do ponto de vista da doença.

  • Hoje a Atenção Domiciliar, ou Home Care, não faz parte do rol de procedimentos cobertos pelos planos de saúde privados e apenas 4% dos pacientes assistidos em casa é oriundo do serviço público. Por que vale a pena o investimento financeiro nesse tipo de serviço?

Débora: Não é uma assistência barata, mas com o Home Care a família tem a oportunidade de ver de perto o tratamento que está sendo dado ao seu ente querido. O atendimento pode ser mais rapidamente adaptado às necessidades do paciente, já que se trata de uma assistência personalizada, individualizada. Só de saber que o seu familiar receberá a melhor assistência, no conforto de casa, perto de você e da sua supervisão… isso não tem preço. E a resposta ao tratamento  é diferente, costuma ser muito mais rápida e positiva.

  • Qual o papel do enfermeiro em uma equipe de Home Care?

Débora: O enfermeiro vai ser sempre o principal elo de ligação entre os profissionais da equipe de Atenção Domiciliar. Ele é responsável pela gestão das informações do paciente e da família, e é através do enfermeiro que as orientações são repassadas para os familiares e cuidadores. Além dos seus cuidados técnicos e da supervisão da equipe de enfermagem, ele tem o papel de capacitar o cuidador, fazer gestão dos materiais, medicamentos e equipamentos dentro do domicílio. O enfermeiro é o profissional que vai nortear todos os atendimentos e condutas.

  • E o do técnico de enfermagem?

Débora:O técnico é o profissional que atua na implantação do Plano de Atendimento montado pelo enfermeiro e que estará ao lado do paciente na realização dos cuidados, possibilitando que esse plano seja revisto e reajustado prontamente. É uma peça essencial, mas que de forma alguma dispensa a supervisão de um enfermeiro.

Revista X - Home Care

Revista X - Home Care Débora
Débora Souza
Enfermeira e empresária
E-mail: deborasouzaenf@gmail.com
Facebook: Debora Souza Home Care
21 999889-2128

Possui Graduação em Enfermagem pela Universidade Plínio Leite e atua no ramo do Home Care desde 1998. Foi chefe do Centro Cirúrgico do Hospital e da casa de idosos. Atualmente, oferece o serviço de Atenção Domiciliar à população de Niterói-RJ, com o apoio de uma equipe multidisciplinar.

Curta e compartilhe a Revista X!
0
Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *