CyberBullying – Violência Virtual 31

Embora não consista em agressões físicas, o cyberbullying tem consequências tão ou mais graves quanto o bullying físico.

É um tipo de violência, assim como o bullying, com a diferença que em seu caso as agressões ocorrem por meio da internet ou outras tecnologias relacionadas, por motivos supérfluos. Habitualmente, os agressores criam um perfil falso na internet com o objetivo de intimidar e ridicularizar sua vítima, o que é feito através de montagens de fotos pornográficas com o rosto do agredido, por exemplo. A pessoa que comete o cyberbullying é chamado de “cyberbullie”.


Em geral, é praticado entre adolescentes, mas ocorre com frequência também entre adultos. É mais fácil para os agressores, porque podem fazê-lo de forma anônima nas diversas redes sociais, através de e-mails ou de torpedos com conteúdos ofensivos e caluniosos. Segundo a empresa Ipsos, o Brasil é o segundo país com maior incidência de casos de cyberbullying no mundo, ficando atrás apenas da Índia.

É importante ressaltar que agressões como essas podem trazer drásticas consequências, levando as vítimas até a morte. Isso ocorre em maior número entre os jovens, pois apresentam grandes dificuldades de lidar com os problemas. Nestes casos, eles se isolam, entrando em outro grave problema: a depressão.

 

nfelizmente, o uso da internet para a organização de ataques à honra das pessoas tem sido uma prática muito comum. Essas ações têm causado grandes estragos na vida da pessoa agredida. Assim, muitas pessoas enfrentam as consequências de páginas intituladas “Eu odeio fulana”, por exemplo, onde a vítima, na maioria os grupos minoritários (mulheres, negros, homossexuais, etc.), vira alvo de todo tipo de xingamento.

Em novembro de 2015, foi sancionada uma lei contra o bullying e o cyberbullying, com o objetivo de combater e prevenir essa prática, principalmente no ambiente escolar. Os agressores anônimos podem ser descobertos e processados por calúnia e difamação, sendo obrigados a indenizar a vítima.
No caso de uma pessoa estar sendo vítima de cyberbullying, especialistas orientam a fazer um boletim de ocorrência numa delegacia, com a indicação do suspeito, se houver. Ressaltam que é importante jamais apagar o conteúdo. Também poderá ser necessário, entrar com ação judicial contra o provedor do serviço, como a operadora de telefonia, para que ela possa rastrear dados do responsável pelo conteúdo enviado.

Curta e compartilhe a Revista X!
0
Previous Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se.
Acessar Revista

Revista X
4ª edição 2019

Matérias e fotos Exclusivas da Atriz e Modelo Anajú, Acesse agora!
close-link